III Congresso Nacional de Conversas de Psicologia

0 Comente
74 Views

Este congresso apresenta-se como “uma referência entre investigadores e profissionais da área da psicologia e das ciências sociais”, tendo ocorrido em conjunto com a 2ª Conferência Internacional de Envelhecimento Ativo. Foram dois grandes eventos que contaram com a participação de prestigiados investigadores e docentes de Universidades Portuguesas, Brasileiras, Espanholas, Inglesas.

A APPsiRH participou nesta conferência com as seguintes comunicações e pôster:

Comunicações

  1. Escola Rita Leal: Uma proposta terapêutica para o autismo.

Apresentação: Alexandra Alves

Autores: Alves, A., Alves, P. F., & Rodrigues, T. (2016).

Resumo/Abstract

A Escola Rita Leal tem por objetivo a efetivação de uma proposta terapêutica para perturbações do epetro do autismo. Fundamenta-se nos trabalhos de Leal e Vygotsky.

A base da intervenção assenta no treino de profissionais e pares de forma a restabelecer o formato de intercâmbio contingente, que é fundamental para o processo de desenvolvimento.

Palavras-chave: Autismo, Aprendizagem Cooperativa, Zona de Desenvolvimento Proximal, Supervisão Clincal, Pares Competentes.

 

The Rita Leal School aims to an effectuation of a therapeutic proposal for autism. It is founded on the works of Rita Leal and Vygostky.

The team is formed by professionals with training and supervision, and peers with strong empathic capacities. The goal is to reestablish the format of mutually contingent intercourse, key to learning.

Keywords: Autism, Cooperative Learning, Zone of Proximal Development, Clincal Supervision, Competent Peers.

 

  1. Escola Rita Leal: Análise da qualidade relacional dentro da teoria relacional-histórica. - Investigação baseada em registos audiovisuais

Apresentação: Claudia Tirone

Autores: Tirone, C., Alves, P. F., & Rodrigues, T. (2016).

Resumo/Abstract:

A Escola Rita Leal promove momentos de relação dialógica entre crianças com perturbação do espectro do autismo e pares através da mediação de profissionais devidamente treinados. Através do estudo dos registos audiovisuais, com o Observer XT12, foram analisados os resultados da metodologia da Escola Rita Leal aplicada a uma escola pública.

Palavras-chave: Autismo, Relação Dialógica, Análise da Qualidade Relacional, Par Competente, Inclusão Escolar.

 

The Rita Leal School promotes moments of dialogical relationship between children with autism spectrum disorder and peers with the mediation of adequately trained professionals. By studying audiovisual records, with the Observer XT12, the results of the Rita Leal School methodology applied to a public school were analysed.

Keywords: Autism, Dialogical relationship, Relational quality analysis, Competent peer, Educational inclusion.

 

Posters

  1. Escola Rita Leal: Um novo olhar sobre o autismo – Uma proposta terapêutica para o autismo.

Autores: Alves, A., Alves, P. F., Rodrigues, T., Tirone, C., & Prade, D. (2016).

Abstract:

Ao distanciar-se dos programas de aprendizagem instrumental e comportamental, a Escola Rita Leal tem por objetivo a efetivação de uma nova proposta terapêutica com crianças e adolescentes com Perturbação do Espectro do Autismo (PEA). Esta abordagem fundamenta-se nos trabalhos de Rita Leal (1975, 1997, 2005), que propõe uma teoria de desenvolvimento emocional que tem por base uma relação contingente, e nos conceitos de Mediação e Zona de Próximo Desenvolvimento das teses de Vigotsky(1930, 1934).

A base da intervenção da Escola Rita Leal assenta no treino de profissionais (psicólogos e professores) e pares (crianças e adolescentes com fortes capacidades empáticas) de forma a restabelecer o formato de intercâmbio mutuamente contingente, uma vez que o mecanismo inato de busca da resposta contingente à própria iniciativa não se extingue ao longo da vida. O desenvolvimento da base relacional necessária à promoção da confiança básica é imprescindível para a motivação de aprender.

O objetivo primordial assenta em trazer a criança com PEA para um contexto relacional no qual os pares servem de mediadores, enquanto criam atividades de aprendizagem. Recria-se assim um ambiente escolar no qual são promovidos momentos relacionais sistemáticos e interativos e adequada a cooperação para o desenvolvimento de cada criança.

 

  1. Escola Rita Leal: Um novo olhar sobre o autismo – Um modelo de intervenção aplicado numa escola pública – Análise da qualidade relacional através do software “The Observer XT 12”

Autores: Serra, A., Alves, P. F., & Rodrigues, T. (2016).

Abstract:

O acompanhamento de crianças com autismo não se esgota nas atividades da Escola Rita Leal, havendo uma estreita colaboração com as escolas públicas. Realiza-se uma supervisão contínua ao trabalho realizado por professores, por forma a orientar os colegas de turma a tornarem-se pares mais competentes. Durante esta cooperação, os pares disponibilizam e emprestam diferentes ferramentas e metas com que as crianças com espectro do autismo vão- se familiarizando e gradualmente apropriando.

A colaboração é essencial para que o processo de aprendizagem se dê de forma significativa e eficaz, procurando na relação entre os pares meios para a aquisição de formas independentes de desenvolvimento.

Durante 5 semanas a professora da Escola Pública foi supervisionada e uma colega de turma orientada. Recorrendo ao software de análise comportamental The Observer XT 12 registou-se uma evolução na motivação e capacidade de manter a atenção por parte da criança com perturbação do espectro do autismo, assim como o desenvolvimento das capacidades relacionais e pedagógicas entre os intervenientes no processo de aprendizagem.

Palavras Chave: Capacidade Relacional, Autismo, Relação Contingente.

 

  1. Escola Rita Leal: Um novo olhar sobre o autismo – A complexa construção da empatia: preparação dos psicólogos e pares.

Autores: Lopes, J., Alves, P., & Rodrigues, T. (2016).

Abstract:

O compromisso de ensinar e aprender não surge espontaneamente, a metodologia da Escola
Rita Leal permite (re)criar de forma interativa e sistemática momentos relacionais e de
cooperação adequados à evolução de cada indivíduo com Perturbação do Espectro do Autismo.

Com o objetivo de promover uma maior consciência do papel desempenhado por cada
elemento da equipa foi solicitado pelos supervisores que, profissionais e pares, gravassem as
impressões de cada experiência. Procedeu-se à sua análise através do software The Observer
XT12 em conjunto com o modelo de investigação da evolução do material qualitativo Análise
dos Núcleos de Significação para a Apreensão da Constituição dos Sentidos (Junqueira e
Ozella 2015). 

O processo de auto e hetero análise teve como resultado a reflexão sobre o exercício da
profissão, o desejo da cientificação da atividade e a criação de hábitos de observação
individualizada para uma intervenção mais personalizada.
O propósito é conseguir uma equipa cada vez mais empática, mais descentrada, onde cada
elemento (re)constrói a sua própria identidade profissional.

Palavras Chave: Autismo, Empatia, Pares, Técnicos, Supervisão